sábado, 4 de abril de 2015

Velozes e Furiosos 7

Depois de longas sessões de filmes indicados ao Oscar, que exigem um pensamento complexo, reflexões extensas e analises pormenorizadas a respeito de fotografia, figurino, atuações e roteiros originais... Precisamos dar um tempo e ver algumas coisas explodindo!
Velozes e Furiosos 7, trás de volta alguns personagens de episódios passados da franquia, como Hector de Velozes(Noel Guglielmi) e Furiosos 1
 e Sean Boswell (Lucas Black) de Velozes e Furiosos 3. 
O filme tem a velha receita de bolo, vingança. A trama começa com a derrota do vilão anterior que agora será vingado por seu irmão mais velho interpretado por Jason Statham,
a partir dai são tiros, batidas de carro, lutas corpo a corpo ou seja, tudo que gostamos em filmes de ação!
As cenas de ação com os carros são legais, mas nenhuma me fez prender a respiração, em compensação as cenas de luta são muito boas e bem coreografadas. Se eu tivesse que fazer uma critica as cenas é que a maioria delas parece que acaba sem uma conclusão, como se os personagens se encontrassem, batiam na cara um do outro e fossem embora sem dar um fechamento a cena. Mas preciso dar um destaque aqui para as cenas do ator Tony Jaa porque todas as vezes que ele aparece é garantia de acrobacias e de uma cena realmente empolgante.
O segundo destaque vai para a cena de Honda Russey e Michele Rodrigues (apesar de ser impossível Michelle aguentar mais de dois segundos de luta com Honda) a luta foi legal e muito bem coreografada. (CATS FIGTH)
Ao final do filme há uma homenagem à Paul Walker que é emocionante ainda mais porque sabemos que não teremos mais Braian O'Conner nos próximos filmes. Velozes e Furiosos 7 vale muito a pena a ver pra quem gosta de carros, lutas, tiros e cenas impossíveis.