segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Experiências quadradas

Aquisições da Comic Con


Nessa Comic Con muita coisa aconteceu, uma delas foi que no beco dos artistas eu adquiri muitos quadrinhos bacanas de artistas independentes e agora vou fazer uma resenha dos meus novos filhos.

Joãos & Joanas, Autor: Pedro Hutsch Balboni, Editora: Meu Bolso


Escrito por Pedro Hutsch Balboni, a HQ traz um compilado de todas a tirinhas que o autor publicou em seu site (www.joaosejoanas.com).
Com um humor sarcástico, irônico e muitas vezes filosófico o autor faz com que nos identifiquemos  com essas criaturinhas que em muito se parecem com seres humanos. Com traço simples Pedro faz do texto sua maior arma para conquistar o leitor, dessa forma você submerge nos diálogos das joaninhas mais legais que eu já conheci.
Não conhecia o trabalho do Pedro e na Comic Con tive o prazer de conhecê-lo virar fã do trabalho dele e de outros artistas que conversei.


Eu matei Libório, Autor: Orlandeli, Editora: Ultima Quimera



 Escrito por Orlandeli que já está na estrada desde 94 trabalhando com cartum e ilustrações para várias revistas, não só de quadrinhos mas de vários seguimentos. "Eu matei Libório" é uma das surpresas que tive o prazer de encontrar na CCXP, com um texto divertido e com traço underground, a história gira em torno de um personagem que podia muito bem ser alguém que nós esbarramos no ônibus ou nós mesmos em algum momento da vida, esse personagem (que não tem nome) expressa durante toda a história o ódio que tem por Libório, um sujeito que volta e meia atravessa seu caminho e torna sua vida um pouco mais complicada, segundo ele. Como o próprio autor dá o spoiler na capa da hq o que é contado nas páginas que seguem são as justificativas que o personagem dá para assassinar Libório.
Cheio de humor nos é entregue uma bela história que infelizmente acaba rápido.
(site: http://www.orlandeli.com.br/principalw.htm)



Ordinário, Autor: Rafael Sica, Editora: Quadrinhos na Cia.



Sem palavras muitas vezes é a melhor maneira de expressar nossa indignação, nossas frustrações e nossos medos. O cotidiano de uma metrópole é repleto desses sentimentos e é dessa forma que Rafael Sica nos mostra o lado mais surreal de nossas vidas. Com um traço muito particular e por meio de metáforas ele nos apresenta as facetas de um mundo que está ficando cada vez mais competitivo e sombrio em alguns aspectos. Todo sem balões, os quadrinhos são de uma qualidade impecável que nos fazem pensar e refletir mais do que muitos quadrinhos com quilômetros de texto.



 Bordados, Autora: Marjane Satrapi, Editora: Companhia das Letras



 Esse é um pouco antigo mas vale o registro (Marjane Satrapi sempre vale a pena), contando a história de um encontro entre mulheres da família de Marjane Satrapi, somos introduzidos em um mundo exclusivo do pensamento feminino das mulheres de Teerã, suas frustrações amorosas, suas experiências sexuais e as situações engraçadas que elas e suas amigas passaram no decorrer de suas vidas. A HQ é uma ótima forma de conhecer outras maneiras de pensar o feminismo e a liberdade que as mulheres tem ou deveriam ter não só no Irã mas no mundo todo. Marca registrada do trabalho da autora, essa história nos transporta para dentro da sala de estar da família Satrapi, como se cada caso contado tivesse sido vivido por um membro de nossa própria família. Leitura obrigatória pra quem é fã da Marjane (como eu) e pra quem ainda não conhece o trabalho dela.